Páginas

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Tolerância

Há tempos, que não sei quanto, fiz essas duas postagens com um ou dois dias de intervalo.
Pois leia-os:

Por favor, tchê!
Agora tô mais calmo.

O primeiro dos Posts fala sobre várias situações pelas quais eu já passei durante minha vida. O segundo explica um pouco mais da teoria, sem tanta raiva e sem tantas reclamações, mas sim o assunto. Não um pedido para que deixassem de encher meu saco, mas sim uma análise mesmo.
O que interessa é que comentei que faria um novo post posteriormente em relação ao primeiro exemplo de todos. A aceitação.

"Depois de ter assustado algumas pessoas e conquistado o coração de outras...a explicação.

A primeira parte do texto é o seguinte:
Hoje em dia, as pessoas estão cada vez mais intolerantes...sentem-se cada vez mais com a razão e cada vez mais a idéia de que são o centro de tudo cria forças no coração delas.
Pras pessoas hoje, é como se todos fossemos iguais, quando essa é talvez uma das mais importantes diferenças entre seres humanos e os outros animais.
As pessoas não aceitam que outras pessoas sejam diferentes. Não aceitam as desculpas umas das outras, não aceitam que se discorde delas...erros...

Pois bem, a questão central aqui não era essa, isso fica pra um outro post."

Então aqui estou:

Gente, é uma questão de conceitos. São vários! Demais pra postar tudo de uma vez. Vamos se concentrar em um desta vez. Tolerância. E deixemos os demais apenas grifados neste para serem analisados depois.
Nós não estamos certos sempre. Por que? Porque "não existe certo ou errado". Não somos todos iguais. "Sempre existem motivos para tudo o que é feito, seja feito por quem for."
São coisas assim que...como posso dizer..."seria conveniente" que pensássemos.
Todas as pessoas têm suas próprias vidas, passaram por situações que ninguém mais passou, vivem num conjunto de meios que ninguém mais tem vive igual. Então...por que achar sempre que as pessoas estão erradas?

Por que erradas?

Não! Não estão erradas! Nunca!

"É tudo reação".

Se hoje somos como somos é porque vivemos tudo o que vivemos na nossa vida. Se uma única coisa fosse diferente, seríamos pessoas diferentes do que somos agora. Mudamos todos os dias, pois informações novas entram na mente, experiências novas, situações que geram reações nas nossas mentes. Então, se tem alguma coisa errada nesse mundo, na nossa sociedade, é julgar os outros.
Tenho observado que esse assunto tem sido muito debatido aqui no sul do Brasil pelo fato de ter sido muito debatido em um programa muito popular de rádio.
Exemplo do que foi debatido no programa pode ser o fato de agentes penitenciários estarem se corrompendo.

Errado?

Se tu tivestes no lugar deles, com um filho passando fome? Se tivesses passado uma infância difícil, sabes bem o que teu filho vai passar, já passastes pelo mesmo. Passastes, mas sofrestes, não desejas pra ninguém.
O ser humano tem a mente muito fixada.
Imaginação, nosso maior dom? Nah...

Iríamos lá na frente e veríamos que liberar um preso perigoso é pior pra mil pessoas e salva meu filho. Somos
é egoístas isso sim, a maioria.

Errado?

Não!

Somos mesmo, somos familiares. Meu DNA vale mais pra mim do que o teu mesmo. Isso não é errado, é natural.
Eu tenho quase, e eu disse quase, certeza que qualquer um pensaria, ao menos cogitaria a possibilidade de entrar para um esquema desses, ganhar um dinheiro a mais e pagar um brinquedo decente pro filho, saúde, escola, comida. Coisas que pagamos com o imposto e não temos...assunto pra outro post.
Enfim. Foi comentado que eles sabem do salário quando fazem o concurso.

Sabem. Mas e daí?

Se não tiver outra opção? Eu posso passar fome até ser obrigado a matar, ou faço um concurso desses e ganho uma merreca pra correr risco, ser ameaçado todos os dias não só pelos presos, mas pelos corruptos, caso não entremos no esquema. É assim!

Eu tive depoimentos de que é assim! Se tu não entras no esquema, tu morre. É isso!

Queres dizer que o cara tá errado?

Eles têm que escolher quem vai sofrer. Minha família ou a tua?

A tua, sem dúvidas...

Mas o interesse não era exatamente esse. A ideia aqui era mais trazer à tona a ideia de que as pessoas têm motivos pra serem quem são. O que é certo pra mim pode não ser pra ti. A temperatura que eu acho frio tu podes não achar. O doce que eu acho ruim tu podes não achar. A música que eu acho perfeita tu podes achar uma merda.

A gente tem que parar de discutir as coisas por isso?

Não!

A gente NÃO TEM NADA...a gente não tem que fazer porra nenhuma. A gente tem total liberdade pra fazer o que quiser. A gente tem total liberdade pra achar o que quiser.
Se não discordarmos não teremos assunto. Se não usarmos diferenças e situações bizarras uns dos outros, não iremos rir.
Ser mais tolerante é bem mais conveniente do que qualquer coisa. As pessoas não são iguais. Deixai-vos aproveitar isso. Deixai-vos extrair assuntos disso, piadas disso. Respeitai-vos a opinião dos outros.
O mundo é tão simples nesse sentido...a gente complica tanto.

"- Tá frio pra sorvete.
 - QUE FRIO O C******, CARA. TÁ FRIO NADA!!!
 - O.O..."

Boa viagem :D...

Nenhum comentário:

Postar um comentário