Páginas

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

The Road - A Estrada

Assisti a esse filme hoje.

 A estrada é algo perigoso neste filme. É por ela que as pessoas viajam. Se quiseres ficar seguro, vá para longe da estrada. Se quiseres sobreviver, siga pela estrada. Sobreviver não é seguro neste filme.

 Não ficou claro pra mim, e talvez não fique mesmo que eu assista o filme mais e mais, mas eu creio que a causa de tudo foi alguma coisa climática. Não foi como uma bomba nuclear explodindo, foi mais como se a Terra tivesse dado um basta na vida que nela vivia. Quase toda.

 Sim, sim, claro. Eu nem tinha dito isso. É perigoso sobreviver neste filme, pois a terra passou por uma espécie de catástrofe que a tornou gelada, sem vida, sem comida, sem abrigos seguros para todos. Pessoas trancadas em suas casas por anos, umas se mataram, outras agüentaram até poderem sair e procurar por comida. Uma espécie de pós apocalipse é o ambiente criado para esse filme, mas não com guerras nucleares, cyberpunks, resistências contra super vilões que controlam um mundo destruído pela guerra...é mais como...algo real. A Terra sofre mudanças climáticas. Nós, humanos, não estamos aqui desde seus primeiros dias, ao menos é a teoria mais aceita...

 Neste filme a Terra tornou-se um lugar praticamente inóspito. É frio, não existem plantas, árvores mortas desmoronam a todo tempo por causa da terra ressequida, animais morreram em sua grande maioria bem como a grande maioria dos seres humanos que não morreu se matou.


 Creio ainda não ter ficado bem claro o perigo de se estar vivo em The Road.
 O filme apresenta esse grande perigo de duas formas:

 Primeira e mais rápida de explicar: Instinto de sobrevivência unido a escrúpulos. Pessoas boas o suficiente para apenas lutarem entre si por comida, roupas e sapatos. Isso é o de menos. Tu ficas sem comida, na pior das hipóteses, se não morrer de fome leva um tira na cara.


 Segunda e perturbadora: Canibalismo. Seres humanos que sabem que outros seres humanos têm carne vermelha como qualquer animal na terra (que tenha carne vermelha...O.O) e que, na verdade, existem pouquíssimos outros animais na terra e esses seres humanos não têm escrúpulos. O instinto de sobrevivência os leva a comer outros seres humanos.



 Mas pense que um ser humano tem muita carne...não existe eletricidade para congelar a carne de um ser humano morto então...

 O filme esconde muitos dos detalhes desse aspecto pois seu interesse em chocar não se aplica a cenas sangrentas e nojentas, apesar de elas estarem presentes aqui ou ali.

 Assisti e recomendo e muito! É um ótimo filme que traz muitos assuntos a serem pensados por quem gosta de pensar. Instinto, respeito, dignidade, honra, vida...muita coisa mesmo.

 Assistam vocês mesmos essa viagem de um pai que pretende defender e ensinar seu filho a como sobreviver em um mundo onde não se pode confiar em ninguém, nem mesmo na nossa própria capacidade de julgamento e que a sobrevivência eleva às alturas a quantidade de virtudes e conceitos a serem discutidos um à um por quem se atrai por esses assuntos.

 Prove essa viagem!

Nenhum comentário:

Postar um comentário